A ACNE MELHORA NO INVERNO?

Na estação mais fria do ano, o suor diminui, a pele fica menos oleosa e, por isso, aparecem menos cravos e espinhas. Isso é o que todos nós achamos quando chega o inverno, mas não significa, necessariamente, que nessa época você estará livre dessas indesejáveis lesões, pois existem outros fatores a serem considerados.

Pode parecer surpreendente, mas o frio também pode provocar o aparecimento de espinhas e até mesmo piorar os quadros já existentes, pois nessa estação as pessoas usam mais roupas, tomam banhos quentes e ingerem uma quantidade maior de alimentos ricos em gordura. De acordo com os dermatologistas, o uso de gorros e cachecóis e de mais de uma camada de roupa, principalmente as sintéticas e de lã, aumenta a proliferação de fungos e bactérias na pele, enquanto os banhos quentes removem a gordura cutânea e ativam as glândulas sebáceas.

No inverno a pele fica mais ressecada, o que pode provocar o efeito rebote – ou seja, o organismo reage produzindo mais sebo, que obstrui os poros e cria as condições que favorecem o surgimento da acne. Somado a isso, o vento gelado também castiga a pele e a deixa mais sensível e mais seca, o que ajuda a causar a perda de sua proteção natural contra as bactérias.

Dessa maneira, não convém relaxar os cuidados com a pele durante os meses mais frios do ano. Não lave o rosto mais do que duas vezes ao dia, de preferência com água fria ou morna, e use sabonetes faciais suaves, mesmo se sua pele for mais oleosa. Para evitar o ressecamento, hidrate bem a pele com produtos livres de óleo e não comedogênicos (que não obstruem os poros). E, apesar do frio, não se esqueça de aplicar o protetor solar, também do tipo oil free, e não deixe de beber bastante água.

Cuidado facial