QUANDO IR AO DERMATOLOGISTA

Boa parte dos problemas de pele têm pouca gravidade e requer apenas uma rotina de cuidados: limpeza e hidratação constantes, com produtos específicos. Porém, existem casos em que uma consulta ao dermatologista se torna indispensável, e não convém negligenciar essas situações.

 

Alguns sinais são mais alarmantes, como surgimento repentino de pintas, feridas ou nódulos irregulares, de tamanho considerável, que apresentam sangramento e não cicatrizam em até quatro semanas ou que formam crostas. Esses problemas de pele podem ser indícios de câncer de pele, o tipo mais frequente no Brasil, mas que registra um alto percentual de cura quando é detectado e tratado precocemente. O diagnóstico é feito pelo dermatologista, por meio de exame clínico ou de uma dermatoscopia e, em alguns casos, de biópsia.

 

A consulta ao dermatologista também deve ser feita em casos de acne frequente, alergias na pele, eczemas, intolerância a cosméticos, queda de cabelo localizada, alterações nas unhas, herpes e manchas cutâneas vermelhas, marrons ou brancas.

 

Além de recomendar a melhor forma de tratamento para os casos citados, o dermatologista pode informar o tipo de pele de cada pessoa e explicar os cuidados que devem ser adotados no dia a dia, como a limpeza correta, a hidratação e as maneiras de cuidar do excesso ou da falta de oleosidade, para assim mitigar ou sanar problemas de pele.

Cuidado facial