ACNE INFANTIL: O QUE FAZER

Até alguns anos atrás as pessoas se surpreendiam ao ver uma criança de menos de 11 ou 12 anos com cravos e espinhas no rosto. Hoje, isso é mais comum, e alguns especialistas dizem que é porque a puberdade está chegando cada vez mais cedo, e em consequência as mudanças hormonais também ocorrem mais precocemente. Estudos mostram que, realmente, está se reduzindo a média de idade em que os pais levam os filhos ao dermatologista para tratar casos de acne.

Outros especialistas acreditam que, além disso, os pais estão mais informados, preocupam-se mais com a aparência dos filhos e procuram ajuda médica assim que surge o primeiro cravo ou espinha. Porém, qualquer que seja o motivo, a preocupação se justifica e é bom entender melhor o que é a acne infantil e saber o que fazer quando atinge o filho.

1. Por que criança tem acne?

A principal causa é a mesma da acne em adolescentes: as alterações hormonais, só que, nesse caso, precocemente. Entre outros motivos, destacam-se a predisposição genética, estresse, consumo de medicamentos como corticoides, exposição excessiva ao sol e uso de produtos oleosos na pele.  

2. Há motivo para preocupação?

Inicialmente, os pais podem ficar tranquilos, pois na maioria dos casos esse tipo de acne é temporário e costuma se curar espontaneamente, sem uso de medicamentos.

3. É possível prevenir?

É possível e recomendável, principalmente para evitar ou reduzir o aparecimento de novas lesões. O primeiro cuidado é a higiene diária da pele, que deve ser lavada pela manhã e à noite com sabonetes suaves e protegida com loções e filtro solar não oleoso. Nunca se deve espremer as lesões nem aplicar medicamentos sem recomendação médica.

4. Como tratar

O tratamento local é feito para desobstruir os poros, eliminar os cravos e controlar a inflamação, a fim de que não fiquem marcas na pele. O médico também pode receitar um medicamento oral – mas apenas o médico, já que vale repetir: a automedicação é altamente contraindicada.

5. Quando ir ao médico?

Os pais devem ficar atentos e acompanhar a evolução da acne. A consulta ao dermatologista é indicada quando as lesões se agravam, ficam inflamadas ou não desaparecem rapidamente.

Cuidado facial