ACNE: UMA AMEAÇA À AUTOCONFIANÇA

Quem tem acne sabe: apesar de comum entre adolescentes e de aparecer também na fase adulta, se não tratada, pode influir no lado psicológico e ter um impacto profundo na autoconfiança, mesmo quando se tomam os devidos cuidados com a pele. Jovens e adultos podem encarar o problema de forma diferente, mas todos sofrem com cravos e espinhas. Isso acontece porque existe uma conexão emocional entre a qualidade da pele e a autoestima e o bem-estar, e as lesões da acne causam insegurança, tristeza e ansiedade, podendo levar até mesmo a quadros de depressão.

Entre os jovens, a faixa etária em que a acne é mais presente, há a questão da aceitação no grupo, algo importante nessa fase da vida. As lesões no rosto podem causar isolamento, uma vez que nem todos conseguem lidar bem com as brincadeiras dos colegas e a rejeição de possíveis paqueras. O problema pode extrapolar a esfera social e prejudicar o desempenho escolar.

Já entre o público adulto – as mulheres, principalmente – a autoestima é abalada não pelas reações de colegas ou familiares, mas por causa da autopercepção, por não conseguir se enquadrar em estereótipos irreais de beleza e se sentir inadequado. Uma pesquisa divulgada em 2018 pela Associação Britânica de Dermatologia mostrou que 54% dos adultos que têm ou já tiveram acne sentem que a condição teve um impacto negativo em sua autoconfiança e 22% disseram que o problema prejudicou suas interações sociais.

Outro estudo, também realizado no Reino Unido, pela The Health Improvement Network (THIN), analisou milhares de pessoas entre 1986 e 2012 e constatou que aquelas com acne tinham 63% mais de risco de desenvolver depressão.

Por isso, como prevenção, quem não tem acne deve manter uma rotina de cuidado facial com produtos específicos para cada tipo de pele, aliada a uma alimentação saudável (com mais grãos integrais, frutas, verduras, legumes e ômega-3) e à prática regular de exercícios físicos, para combater o estresse. Tudo isso ajuda a manter a pele do rosto mais saudável. Quando a acne já se instalou, o melhor a fazer é procurar a ajuda de um dermatologista, que poderá analisar o tipo de pele, as causas e indicar o melhor tratamento. 

Cuidado facial