COMO PREVENIR AS ESPINHAS HORMONAIS

As espinhas podem ser provocadas também por variações hormonais, quando as glândulas sebáceas localizadas sob a pele produzem sebo em excesso, influenciadas por um desequilíbrio dos hormônios. Se não consegue ultrapassar a abertura dos poros, essa gordura se acumula e favorece o aparecimento de bactérias. Com isso, o corpo, automaticamente, ativa as células de defesa, na tentativa de eliminar esses microrganismos, o que desencadeia uma reação inflamatória que pode evoluir para cravos e espinhas de origem hormonal.

O desequilíbrio dos hormônios tem origens diversas, entre as quais a disfunção da glândula tireoide e o uso de alguns tipos de pílulas anticoncepcionais que suprimem o sebo. Nesse caso, a resposta do organismo é a produção de mais sebo, o que pode resultar em espinhas, e essa é mais uma das razões pelas quais às vezes a ajuda de um dermatologista para combater esse tipo de acne não deve ser descartada.

O tratamento da espinha hormonal pode incluir medicamentos, cuidados faciais e até mesmo mudanças na alimentação e no estilo de vida, mas, invariavelmente, a prevenção é indispensável. Porém é preciso evitar a automedicação. É recomendável que nenhum tratamento com remédios seja iniciado antes de uma consulta ao médico, para que o problema seja devidamente diagnosticado.

Manter uma rotina diária de limpeza da pele – para remover as impurezas, proteger contra bactérias e hidratar sem obstruir os poros – também é importante para prevenir o aparecimento de espinhas, qualquer que seja a sua origem. Para isso, use sabonetes, esfoliantes e hidratantes específicos, de marcas reconhecidas.  

Cuidado facial